terça-feira, 8 de novembro de 2011

ENCRUZILHADAS - parte I

Por Claudia Baibich

A simbologia da Encruzilhada, associada muitas vezes à cruz cristã, tem significados muito anteriores ao cristianismo. Mesmo porque entendamos que a encruzilhada é formada de quatro linhas ou braços iguais, e neste caso, como chamamos encruzilhada aberta, o ponto de força máxima está exatamente no centro da mesma e não em uma das linhas. Sua verticalidade está associada ao sagrado e espiritual, enquanto sua horizontalidade ao profano ou mundano.
O centro é o ponto de equilíbrio simbólico  e ligação entre os dois mundos, o cruzamento de forças.


A Encruzilhada ordena o espaço. E  como ponto simbólico que delimita o espaço sagrado e o espaço profano, tornou-se o local eleito há milhares de anos, para a "comunicação" entre os dois mundos. É onde simbolicamente o destino ou as escolhas se realizam, os caminhos traçados são percorridos, as travessias são feitas e os encontros acontecem. Daí a importância da "Função Encruzilhada".

Pirâmides, menires e estátuas foram erguidos em Encruzilhadas em diversas civilizações  indicando desde muito remotamente sua função de "Portal".

Outro aspecto interessante da Encruzilhada é o fator surpresa, quando viro uma esquina , não sei exatamente o que ou quem posso encontrar.
Quais pessoas e fatos irão cruzar o meu caminho?

A relação entre  encruzilhadas e evocação de entidades está presente em muitas religiões pré-cristãs em todo o mundo. Tanto para o bem, quanto para o mal.

As Encruzilhadas consagradas às forças Femininas
A Encruzilhada é um "ponto de força" e um "campo de atuação" de Pombas Giras e Exús. Como ponto de força ou portal, é usada por guardiões de diversas funções e falanges. Com o campo de atuação é usada por guardiões que usam a complementação nominal "Da Encruzilhada".

A encruzilhada em forma pé de galinha era a encruzilhada ideal para as entregas de oferendas às divindades femininas consideradas triplas. Até hoje utilizadas em cultos pagãos e também para entregas às Pombas Giras, quando solicitadas pelas mesmas. Essas encruzilhadas  representam as três faces da deusa: jovem donzela, mulher madura e mulher anciã. São as mais raras e as mais indicadas para rituais de entregas de oferendas às entidades femininas.
(note-se a semelhança com a cruz de Nero, se for invertida, mas completamente diferente em significado)


Em um bosque ou campina, pode ser simulada através de desenhos, recortes ou caminhos traçados. O que ocorre em muitos cultos pagãos. Sendo também presentes em pontos riscados de Pombas Giras, especialmente as
"Da Encruzilhada".

Com a urbanização e organização das cidades, as encruzilhadas trívias e em Y foram desaparecendo e surgindo mais encruzilhadas em forma de cruz e as em forma de T. Sendo que as últimas foram associadas ao feminino enquanto as primeiras, ao masculino.

Encruzilhada em Y




Hécate (ou  Trívia da mitologia romana) 
A Deusa das Encruzilhadas dos caminhos trívios
Divindade tripla da mitologia grega, sendo associada ao mar, à lua - o céu e ao inferno - ou à terra do inferno. Representada por uma mulher com três cabeças ou ainda por três mulheres em idades jovem, madura e idosa ( a virgem, a mãe e a senhora )
Mãe da maior feiticeira grega, Circe e da sacerdotisa  Medéia, tornou-se por extensão, a maior divindade conhecedora da arte da  feitiçaria em si.
Tendo o atributo de olhar em três direções simultaneamente e de conhecer o passado, o presente e o futuro. Esses atributos de visões e conhecimentos sobre os seres, eram usados para auxiliar Perséfone, a julgar os mortos.

As evocações e oferendas à Hácate eram feitas em encruzilhadas, constituídas normalmente de sacrifícios de animais (cachorros, lobos e ovelhas - preferencialmente bem negros)
Os viajantes terrestres, ao passarem pelas encruzilhadas saudavam-na pedindo permissão de atravessarem e deixavam algum tipo de presente.
Os que viajavam por mar, também lançavam oferendas, pedindo permissão e uma boa travessia.



Hécate:
Encruzilhada de Hécate por  Sara Star
Ctonia (Χθονια, ‘da terra’)
Crateis (‘poderosa’)
Enodia (Ενοδια, ‘dos caminhos’)
Antania (‘inimiga da humanidade’)
Curótrofa (Κουροτροφος, ‘ama dos jovens’)
Artemisia das encruzilhadas
Propylaia (‘[a que está] adiante da porta’)
Propolos (‘a que dirige’)
Phosphoros (‘que traz a luz’)
Soteira (‘salvadora’)
Prytania (‘rainha dos mortos’)
Trioditis (grego) ou Trivia ( latim, ‘dos três caminhos’)
Klêidouchos (‘guardiã das chaves’)
Tricéfala ou Tríceps (‘de três cabeças’)
Triformis (‘de três formas’)

Outros símbolos associados à Hécate são a espiral e o labirinto.


A Diferença de Oferendas entregas em Encruzilhadas e em outros locais.


Em primeiro lugar deve-se entregar uma oferenda onde a entidade solicitou.
As Pombas Giras têm seu campo de força em:

Encruzilhadas (abrangendo:  7 Encruzilhadas,  7 Portais, Meia Noite, Cabaré, Lira, Porto, Cais, 7 Véus, 7 Caminhos, Gira Mundo, Navalha, 7 Chaves, 7 Cadeados,  7 Capas, etc)

Cemitério / Calunga (Cruzeiro, Cruzeiro das Almas, Cruzeiro do Cemitério, 7 Cruzeiros, 7 Catacumbas, 7 Covas, Caveiras, Almas, 7 Punhais, Lodo, Lixo, Lixeira, 7 facas, 7 Porteiras, 7 Calungas, 7 Rosas, Quebra Ossos, etc )


Sítios da natureza ( Praia, Figueira, 7 Figueiras, 7 Figas, Campina,  Das Rosas, 7 Ondas, 7 Luas, 7 Véus, Lodo, Lixeira, Matas, Feiticeira, 7 Coroas, etc)


Observando que todas as Pombas Giras pertencem a uma falange que permeia todas as funções na quimbanda, assim, Uma Pomba Gira da Encruzilhada, por exemplo, pode pedir um trabalho na Praia ou no Cemitério. Como pode haver 7 Chaves da Calunga e 7 Chaves da Encruzilhada. Todas as "bandas"
interpenetram-se em total harmonia.
Lembrando que existem as Encruzilhadas de ruas e as Encruzilhadas de Cemitérios, onde suas ruas internas se entrecruzam, daí existirem entidades com o nome por exemplo: 7 Encruzilhadas da Calunga (o principal campo de força continua sendo o cemitério e não a Encruzilhada)


Mas quando você faz uma ativação de sua Pomba Gira Guardiã ou de uma Pomba Gira de sua simpatia, deve procurar entregar suas oferendas em Terreiros ou sítios da natureza. Em caso de Terreiros, deve saber com antecedência se é permitido a sua entrega. E em sítios da natureza deve tomar o cuidado com poluições e incêndios. Usando folhas ao invés de alguidar, usando velas pequenas que queimam rápido e esperando as mesmas acabarem, Deve ainda recolher os demais materiais, após o término das velas.




Concluímos que a Encruzilhada é um espaço sagrado em diversas religiões e assume na Umbanda, especialmente na Quimbanda um campo de força e atuação dos mais importantes. As encruzilhadas possuem seus guardiões locais, bem como outros campos de força.
Independente da forma espacial da encruzilhada (Cruz aberta, Cruz fechada, T, Y, ou pé de galinha), Exús e Pombas Giras estão presentes. A preferência pela entrega ou trabalho depende da intenção da entidade e do objetivo do consulente.

Paz
Claudia Baibich
Licença Creative Commons
Todos os textos neste site site de Claudia Baibich, foram licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Brasil.

.

SALVE DONA MARIA MOLAMBO

SALVE  DONA MARIA MOLAMBO
MINHA AMADA GUARDIÃ E ANJO DA MINHA VIDA!